sábado, 3 de junho de 2017

Poema

Eu era o que sempre pedia.
Aquele que pedia sempre,
mais.
Sanguessuga,
Monstro,
usurpador.
Minha vida
Minha morte
Pedia apenas um pouco da tua atenção.

*Poema produzido a partir de um conto do Rubens Fonseca.

sábado, 17 de dezembro de 2016

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Nossos filhos são LED,
nossos pais incandescentes.
Nós, meras fluorescente
tentando embranquecer a escuridão
dos céus.

sexta-feira, 31 de maio de 2013

eu na "mais de uma"

A gente percebe que há um sentido diferente quando ao invés de eu, pronome de primeira pessoa do sigular, usamos o nós, na primeira pessoa do plural. E quando os pronomes possessivos não são mais posses de uma única pessoa, mas de ambas, são além de meus, teus, nossos. Quando as mãos não vão mais sozinhas, vão acompanhadas e entrelaçadas. Vão livres, inflados por uma liberdade acompanhada. Quando as vontades não são mais minhas, são, além de tudo, nossas. Quando o um não importa mais do que nós, mesmo que este "meu, pessoal" exista e mantenha a sua individualidade, mas ele vira um na "mais de uma", no plural. E quando o sorriso de uma é, também, o olhar encantado da outra.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Porque 2012 foi especial?

Porque eu encontrei quem eu procurava sem saber; porque eu estive preparada para tropeçar e corrigir; porque eu dei passos importantes; porque re-adquiri a minha fé; porque tive e dei esperança a mim e aos outros; porque fez 10 anos que eu fiz 15 anos; porque fez 10 anos que eu tenho uma tartaruga - um dos pet mais mágicos que podemos ter -.

Porque eu briguei e soube concertar; porque eu dei o meu melhor em tarefas que não valeram a pena, mas me senti orgulhosa por mim mesma. porque eu consegui ser eu o tempo todo, sem me importar com o exterior que apedreja e, ao mesmo tempo, me preocupando em não ferir nem ultrapassar o limite dos outros.

2012 foi especial porque é o primeiro ano que eu estou namorando. eu estou trabalhando em um lugar que me agrada. porque eu atraio coisas boas, porque eu tenho sido boa em várias coias. porque eu não preciso afirmar nada para ninguém neste fim de ano e porque...

especialmente porque nestes 365 dias do ano eu consegui espalhar amor entre as pessoas que valem a pena.

2013


as metas para o próximo ano são:

- ter tranquilidade e paz;
- iniciar um curso de francês; (já possuo uma data prevista e uma escola confiável)
- conquistar um espaço só meu e conseguir ser organizada dentro dele; (esta é a meta norteadora do ano)
- terminar a dissertação e fazer a prova de proficiência em francês e inglês;
- ter um novo projeto para os meus estudos; (já tenho algo em mente)
- conseguir amar e respeitar as pessoas indispensáveis para a minha vida e orgulha-las com os meus avanços;
- conseguir estabilidade no trabalho;





sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Decreto de um Grande Rei muito pequeno:

O rei pode ser pequeno em sua estatura, mas todos os seus atos, em valor e por suas decisões é considerado: um grande rei.

Pelotas, 28 de dezembro de 2012

Decreto que, a partir do dia de hoje, todas as formas de amor estão permitidas. Das doces, das exóticas, das animalescas, avassaladoras e tranquilas; essas e todas as outras serão respeitadas e não haverá ser humano ou des-humano que seja capaz de inibi-las, expurga-las, maldize-las.

Parágrafo único: proibe-se, de agora em diante, a vida sem nenhum amor. aceitamos que hajam diferenças, que existam os desafetos, mas no território deste reino e nas vidas de seus habitantes o desprender-se de afeto, carinho e risos tolos está terminantemente banido. acha-se justo que haja muito amor, aos outros e a si próprio, este ultimo especialmente.